logo-anunciame

O que mais você pode encontrar:

A Paz no convívio Familiar

A Paz no convívio Familiar

A família, lugar onde Deus escolheu para nascermos, crescermos e morrermos, é um lugar abençoado, onde deve predominar a paz, alegria e o amor, porém isto nem sempre acontece não é verdade?

De repente este lugar se torna onde menos gostaríamos de estar devido aos conflitos de relacionamentos, dai nos perguntamos: Como resolver diferenças entre nós sem provocar ou aceitar imposições?

Podemos dividir em três princípios a inter-relação interpessoal:

  • 1º. Princípio: A INDIVIDUALIDADE, isto é compreender tudo aquilo que é direito de cada pessoa em particular, o poder dizer SIM e NÃO, QUERO e NÃO QUERO. Este é o espaço vital de cada um e ninguém tem direito de invadi-lo.
  • 2º. Princípio: OPINIÃO-Saber ouvir, acolher, respeitar o que acha o outro, temos o direito de opinar autenticamente sobre os critérios do outro, sem invadir nem violar seu direito de individualidade e autodeterminação.
  • 3º. Princípio: VIDA COMUM- Nesta área não temos direito de exigir, mas tampouco nos conformar com só dar opinião ou nos submetermos aos critérios do outro. A alternativa é dialogar, expor e chegar num comum acordo para descobrir aquele ponto em que as duas pessoas ficam satisfeitas. Este ponto de acordo quando descoberto por meio de discussão construtiva, sem acusação, sem sufocar, sem exigir, mais com sinceridade e respeito se chama – jogo limpo. No jogo limpo se discute qualquer conteúdo (tema) preservando por meio de controle pessoal, a maneira de discutir, respeitando a dignidade, individualidade e autodeterminação do outro. Quando uma pessoa se coloca na defensiva e quer convencer o outro de que tem razão – já esta no caminho do jogo sujo. As frustrações que experimentamos devem ser expressas e resolvidas, porque caso contrário, elas vão sendo guardadas e acumuladas como memórias vivas e vingativas que terminarão deteriorando a felicidade e a vida em comum.

Quando experimentamos sentimentos de desgosto, desagrado ou conflitos, podemos proceder assim: “estou mal, magoado e quero conversar contigo para que cheguemos a um comum acordo. O outro tem o direito de aceitar a discussão neste momento ou propor uma determinada hora para isso: tudo bem, mas agora estou cansado…ocupado…muito preocupado.

Podemos conversar mais tarde?
O que geralmente é tido como problema raras vezes constitui o que vem a ser o verdadeiro problema e sim um sintoma. Diante do exposto algumas REGRAS devem ser levadas em conta para entrar em um jogo limpo:

  • a)Buscar o momento e o lugar oportuno;
  • b)Enviar mensagens de EU em lugar de acusações de TU;
  • c)Saber por que se está discutindo. Ir ao nó da questão, do problema;
  • d)Não meter outras pessoas nas discussões. (família, amigos, irmãos.);
  • e)Não entrar com o objetivo de ferir;
  • f)Não dar golpes baixos (apontar os defeitos), Não generalizar;
  • g)Não puxar coisas do passado. Viver o presente;
  • h)Evitar zombarias, ironias, apelidos, ofensivos, insultos;
  • i)Usar vocabulário adequado, claro, simples. Dialogar.
  • j)Não buscar um ganhador e um perdedor. A relação deve sair fortalecida – todos ganham.
  • l)Solucionar os conflitos a medida que vão aparecendo. Não adiá-los;
  • m)Esclarecer os sentimentos de cada um e respeitá-los.
  • n)Estabelecer metas – chegar a compromissos;
  • o)Gesto de paz… olhar-se nos olhos…perdoar;
  • p)Se o conflito não for solucionado, buscar ajuda de outros irmãos e por último a REGRA DE OURO Escute primeiro… depois responda. Procure entender o momento da pessoa, tratando-a bem.

E desta forma estaremos vivendo em paz com todos. “Procure a paz com todos e ao mesmo tempo a santidade, sem a qual ninguém pode ver o Senhor. Estai alerta para que ninguém deixe passar a graça de Deus e para que não desponte nenhuma planta amarga capaz de estragar e contaminar a massa inteira.” (Hebreus 12,14-15)

Gostou desta leitura?

Então compartilhe!

WhatsApp
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
Print

PARABÉNS,

seus dados foram recebidos com sucesso!

Você já baixou nosso Aplicativo?